Dúvidas

Sobre Procedimentos Cirúrgicos

01. Quem pode ser operado?»
02. Como saber se o meu caso é indicado para cirurgia?»
03. Quais são os exames necessários para uma cirurgia?»
04. Quais são os riscos de uma cirurgia?»
05. Quanto tempo demora o ato cirúrgico?»
06. Qual o tempo de internação?»
07. Quais devem ser os cuidados no pós-operatório?»
08. Qual o tempo de recuperação após a cirurgia?»

Sobre Implantes de Prótese de Silicone

01. O que é silicone?»
02. O que é implante mamário?»
03. Qual a durabilidade de um implante? Preciso trocar a prótese de quanto em quanto tempo?»
04. Como defino o tamanho do meu implante?»
05. A prótese de silicone pode estourar?»
06. A prótese pode sair do lugar?»
07. Posso ter reação alérgica ao silicone?»
08. Quem tem implante de silicone pode fazer mamografia?»
09. Os implantes de silicone podem provocar câncer de mama?»
10. Implantes de silicone são indicados em caso de reconstrução mamária?»
11. Pode-se amamentar normalmente com próteses de silicone?»




Qualquer pessoa que, após ser submetida a uma série de exames pré-operatórios e consulta clínica, se encontre apta para a operação que deseja fazer.

Normalmente, a indicação cirúrgica é dada pelo próprio paciente. Muitas vezes, as pessoas levam uma vida infeliz, e terminam por se excluir socialmente, em função da insatisfação ou da vergonha de não possuir um corpo de acordo com os padrões estéticos estabelecidos. Soma-se a isso a banalização deste complexo por parte dos pais, do cônjuge ou da sociedade, que ora desmerece o problema e o rotula como uma questão de mera vaidade e ora escarnece e discrima com apelidos ofensivos. Nesses casos, apenas o paciente pode determinar o quanto a intervenção cirúrgica é relevante para o seu bem-estar. É claro que sempre deve haver sensibilidade por parte do cirurgião para avaliar, de acordo com o padrão estético, se o problema relatado de fato existe ou se há uma distorção da auto-imagem por parte do paciente.

Para medir o risco cirúrgico, em geral,  são solicitados ao paciente os seguintes exames:  sangue, urina,  e um estudo cardiológico (normalmente eletrocardiograma). Estes exames têm por objetivo verificar se o paciente se encontra saudável e em condições de enfrentar a situação de stress que implica uma cirugia. Adicionalmente, de acordo com o tipo de cirurgia, são solicitados exames de imagem tais como: ultra-sonografia abdominal, ressonância magnética, radiografia de tórax e mamografia digital. Esses exames têm por fim ser um registro de referência da região a ser operada.

Toda cirurgia envolve riscos. No entanto, tomadas as devidas precauções, eles são extremamente reduzidos.

A cirurgia plástica é uma especialidade em que os melhores resultados estão condicionados a detalhes como: simetria, posicionamento e qualidade das cicatrizes. Cada caso possui suas peculiaridades mas, em média, os procedimentos levam de 2 a 5 horas para serem realizados.

Em geral, o paciente retorna para casa no mesmo dia da cirurgia, podendo ficar, no máximo, 48 horas internado na própria clínica, com monitoramento em tempo integral.

Para evitar complicações pós-operatórias de qualquer ordem, as  recomendações  dadas pelo cirugião deverão ser seguidas à risca. Em geral, elas englobarão repouso, antibióticos, antiinflamatórios, compressa de gelo, fisioterapia e drenagem linfática.

Depende do paciente, em geral, uma semana após o procedimento já se pode exercer pequenas atividades que não demandem esforço físico e, após 15 ou 20 dias, o paciente estará apto a retornar a sua rotina, independente do tipo e do local da cirurgia. Os prazos de recuperação no pós-operatório também dependerão dos critérios de avaliação do cirurgião plástico, que devem ser rigorosamente seguidos para garantir o resultado almejado.

O silicone é um polímero derivado do silício. O silicone pode ter consistência líquida, gelatinosa ou semelhante à da borracha. Na cirurgia plástica, é utilizado apenas o silicone na forma gelatinosa de alta coesividade, com revestimento liso, texturizado ou de espuma de poliuretano.

Implantes mamários de silicone possuem como finalidade o aumento ou reconstrução mamária, sendo utilizados com o propósito de melhorar o contorno e as proporções corporais. Possuem seu interior preenchido com gel de silicone coesivo, impedindo que o gel espelhe caso o implante se rompa.

Os implantes não possuem vida útil definida. Acredita-se que as próteses atuais tenham durabilidade estimada de 20 anos. No entanto, cabe ao cirurgião plástico, através de suas avaliações periódicas, determinar a necessidade ou não de troca do implante

Ao escolher um implante existem vários fatores a se considerar além do tamanho. Estes fatores incluem o contorno desejado, a largura pré-operatória, o volume, a projeção e o seu biótipo. O cirurgião, após uma avaliação criteriosa, poderá indicar o tipo de prótese que irá proporcionar os melhores resultados.

Considerando próteses de boa qualidade, só haverá chance de ruptura em casos de acidentes com traumas graves. Porém, de qualquer forma, as próteses de silicone possuem consistência gelatinosa, o que significa que, mesmo em caso de ruptura por acidente, não haverá disseminação do gel de silicone pelo organismo.

Não é habitual isso ocorrer, apenas em caso de não cumprimento dos cuidados exigidos no pós-operatório ou de traumas violentos

Por não ter origem biológica, o silicone não induz o organismo a produzir anticorpos e, portanto, não desencadeia processos alérgicos.

Sim, mulheres com implante mamário podem se submeter a exames de obtenção de imagens, inclusive mamografia. Mas, lembre-se de que é importante informar ao técnico sobre a presença do implante, para que ele possa utilizar técnicas especiais para minimizar as chances de ruptura e obter a melhor visualização possível do tecido mamário.

Até agora não existe na literatura médica qualquer estudo que mostre relação entre câncer de mama e implantes de silicone.

Sim, existem técnicas cirúrgicas para reconstrução mamária que envolvem a utilização de implantes.

Implantes mamários não interferem na amamentação, desde que, durante a cirurgia, sejam preservados os elementos anatômicos que dela fazem parte.